X

Melo tem chave tranquila em Melbourne. Soares e Demoliner no mesmo lado

Domingo, 14 de janeiro 2018 às 08:36:33 BRST

Link Curto: http://bit.ly/2mBZj1T

Tênis Profissional

Neste domingo foram finalmente sorteadas as chaves de duplas do Australian Open e, se em simples o país tem apenas um representante, em duplas teremos três brasileiros em ação: Marcelo Melo, Bruno Soares e Marcelo Demoliner.



Principal favorita ao título, a dupla formada por Marcelo Melo e Lukasz Kubot estreia no torneio diante de Paolo Lorenzi (ex-parceiro de Rogerinho) e Mischa Zverev. Na segunda rodada a vida do brasileiro e do polonês ainda é tranquila, tendo possivelmente os russos Andrey Rublev e Mikhail Elgin pelo caminho.

Nas oitavas de final aparecem nomes que podem vir a complicar a campanha de Melo na Austrália, como a dupla formada por Fabio Fognini e Marcel Granollers ou o perigoso Rajeev Ram, que neste torneio joga ao lado de Divij Sharan. Já nas quartas de final, os grandes nomes começam a aparecer no caminho de Melo e Kubot, com Feliciano e Marc Lopez ou Raven Klaasen e Michael Venus como possíveis rivais.

Caso atinjam a semifinal, Melo e Kubot podem ter adversários fortíssimos pela frente, que inclusive já foram seus algozes, como é o caso das duplas formadas por Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut; e Oliver Marach e Mate Pavic.

A parte de baixo da chave ficou ainda mais complicada para os brasileiros, com Soares e Murray estreando contra Frances Tiafoe e Donald Young. Já na segunda rodada o brasileiro e o britânico podem ter que medir forças com o veterano Leander Paes e seu parceiro Purav Raja. O primeiro grande desafio pode vir, sem dúvidas, já nas oitavas de final com possíveis duelos contra a dupla Nikola Mektic e Alexander Peya; ou contra os perigosíssimos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Como possíveis adversários em uma eventual quartas de final, Soares e Murray têm os favoritos Ivan Dodig e Fernando Verdasco; e a dupla cabeça de chave número 3 Jean Julien Rojer e Horia Tecau. Outra dupla que podem enfrentar nas quartas de final e que chamará a atenção do público é a parceria formada por Sam Groth e Lleyton Hewitt, que voltou da aposentadoria para disputar este último torneio ao lado do amigo Groth.

A semifinal da parte de baixo da chave é onde reside o primeiro duelo possível entre brasileiros, já que um dos candidatos a enfrentar Soares e Murray em uma eventual semifinal é Marcelo Demoliner, que neste torneio joga ao lado do forte filipino Treat Huey.

Demoliner foi, de longe, o tenista tupiniquim com a chave mais complicada, estreando já diante de Marcin Matkowski e Aisam-Ul-Haq Qureshi, dupla cabeça de chave número 15. Na segunda rodada, Demoliner pode ter um duelo contra Robert Lindstedt e Franko Skugor. Caso atinjam as oitavas de final, Demoliner e Huey terão um desafio enorme contra a dupla número 2 do mundo Henri Kontinen e John Peers, atuais campeões do torneio.

Caso consigam superar os campeões e avancem às quartas de final, o brasileiro e o Filipino têm um provável duelo contra os vice-campeões do torneio, Bob e Mike Bryan, considerada por muitos a maior dupla de todos os tempos.

Caso os melhores prognósticos se cumpram, o Brasil pode ter três semifinalistas, com Melo e Kubot na parte de cima da chave; e um duelo entre Soares/Murray e Demoliner/Huey na parte de baixo. Desta forma, podemos até nos ousar sonhar com uma final 100% brasileira na terra dos cangurus.

No feminino, Beatriz Maia e Sorana Cirstea pegam a russa Veronika Kudermetova e a bielorrussa Aryna Sabalenka.