X

Toni Nadal critica nova geração: 'Os jovens de hoje são piores'

Sábado, 05 de maio 2018 às 15:14:11 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O tio e mentor técnico de Rafael Nadal, Toni Nadal, segue como uma das fontes mais procuradas pela imprensa mundial para compreender o circuito profissional de tênis e em entrevista a versão digital do jornal Libertad, Toni falou das novas gerações.



"Vivemos num mundo tecnológico em que parece que vamos solucionar as coisas com métodos novos. Há estudos biomecânico, estatísticos... mas a realidade é que depois disso tudo, os meninos de hoje são piores que os de antes. Quando chegamos ao circuito profissional os melhores do mundo tinham 20-21 anos e agora os melhores do mundo, depois de todas essas descobertas e invenções, são mais velhos. Algo está falhando", disse ele que é o diretor técnico da academia do sobrinho, que tem como foco a formação de tenistas profissionais.

"[Carlos] Moyá ganhou seu único Roland Garros com 21 anos. [Boris] Becker, [Michael] Chang… não sei o que acontece, mas antes [os jovens] ganhavam muito mais que hoje. Os de agora , como teoricamente tão bons que são, ganham metade. Tenho uma ideia de qual seja a razão, não é preciso ter visão de lince para ver,  é evidente que algo está falhando na formação dos jovens. ver Zverev jogando, fará 21 anos, e nesta idade [Lleyton] Hewitt e [Andy] Roddick eram número 1 do mundo. Com essa idade Rafael já tinha vários Grand Slams".

“A maturidade tardia, o protecionismo e querer tudo organizado em detrimento deles. Eu já disse várias vezes: 'o que é bom para um jogador profissional não necessariamente é bom para um jovem em formação'. Há valores que ajudam a melhorar e outros que dificultam. Na academia [Rafa Nadal], entendo que o mundo muda e que há determinadas coisas que mudaram coma  tecnologia, tendo isso em conta, também é importante o que segue sendo importante".

"Acho esquisito que durante tantos anos a cada geração nova tirava a anterior e agora não é assim. A nova não deslocou a antiga", ponderou Toni e seguiu: "Quando chegamos os melhores eram Roddick, Hewitt, [David] Nalbandian, [Guillermo] Coria, Federer, todos estes com 21... [Juan Carlos] Ferrero com 23, [Marat] Safin 24, Moyá tinha 27, [André] Agassi que já era mais velho. Eles dominavam o tênis sendo jovens e agora dominam jogadores mais velhos . Os melhores são Federer 36 ou 37, Nadal 32, [Novak] Djokovic e [Andy] Murray 31. Acredito que se deve por uma juventude que cresceu de maneira diferente. Antes o normal é que os jovens foram bons", finalizou.