X

Orlandinho - o calendário e a pressão

Terça, 19 de maio 2015 às 16:38:43 BRT

Link Curto: http://bit.ly/1Nl7Vih

Tênis Profissional

Por Pedro Fiuza - Com apenas 17 anos (completados em fevereiro!), Orlando Luz, mais conhecido como Orlandinho, é desde o ano passado o número 2 do ranking juvenil e já está entre os 550 melhores tenistas do mundo na categoria profissional. Possui um jogo com poucos buracos em seus golpes, tendo seu forehand e seu dropshot como armas, em contrapartida tem o saque e o backhand como alguns pontos a evoluir (que bom!). 



Leia Também:

Orlandinho vai às oitavas em Milão e luta para se tornar o Nº 1 juvenil

Além disso é dono de uma personalidade que muito agrada ao povo brasileiro, já que é raçudo e vibrante em quadra, além de ser humilde fora dela, sendo sempre muito solicito com os fãs, como pode ser comprovado no vídeo abaixo, no qual o mesmo permitiu que eu o entrevistasse no Challenger de Santos.

 


 


Depois de excelentes campanhas nos dois Challengers realizados no Brasil, tendo feito Semifinal e Quartas de final, Orlandinho terá seis torneios em semanas consecutivas pela frente. Nesta semana ele deu início a uma curta gira europeia no juvenil, com três difíceis torneios, sendo o primeiro um torneio Grau A em Milão (já está nas Oitavas de final) e sendo o último Roland Garros. Em seguida, joga três torneios futures no Brasil, que serão realizados no clube onde treina. 

Alguns podem até discordar, porém vejo com bons olhos esse calendário escolhido, pois acredito que em todos esses torneios ele vai jogar com grande pressão nas costas, já que vai ser cabeça de chave número 1 nos juvenis, tendo a possibilidade de virar número 1 do ranking juvenil já na próxima semana, caso chegue na final do "Trofeo Bonfiglio" e seu adversário direto, Taylor Fritz, não seja campeão. Além disso, nos futures, o gaúcho será um dos melhores ranqueados e estará jogando em casa, podendo por isso, ser considerado um dos favoritos para conquistar os títulos.
Após o sucesso nos últimos jogos, Orlandinho até poderia estar focando em Challengers e ATPs, como alguns juvenis têm feito e conseguido algum sucesso. Independentemente do resultado, a experiência de jogar pressionado esses seis torneios em semanas consecutivas, vai fazê-lo amadurecer seu físico, assim como um fator crítico e que atrapalha tanto os tenistas brasileiros no circuito: a cabeça, o psicológico, o lado mental do jogo. Portanto, o que nos resta agora é acompanhar e torcer para que o Orlandinho continue evoluindo progressivamente e que em breve o brasileiro esteja brigando para ser um dos melhores do mundo no profissional.

 

Pedro é internauta que acompanha o Tênis News e participa da coluna Bate-Pronto que dá a oportunidade para fãs de tênis emitirem suas opiniões sobre o circuito e terem seus textos divulgados no site. Quem quiser pode participar enviando email para tenisnews@gmail.com